BLOG

Apresentação do Livro do José Magalhães, Políticos.pt

 

 

 

 

Apresentei o livro do José Magalhães, Políticos.pt, no ilustríssimo Grémio Literário. O texto que serviu de base pode ser consultado aqui: José Magalhães-apresentação do livro. O livro põe a descoberto a selva legislativa que permite aos deputados acumularem subvenções sem qualquer tipo de fiscalização parlamentar e vem em boa hora para contribuir para o debate na AR sobre a melhoria da transparência política. Haja coragem política para mudar o status quo (17.03.2017).

 

No final, tive uma dedicatória muito simpática do autor:

 

 

Participação no Brown Bag Lunch da Plataforma de Crescimento Sustentável sobre Populismos, Causas e Consequências

No dia 25 de Janeiro de 2017 estive com o Jorge Moreira da Silva, Francisco Pinto Balsemão, José Manuel Fernandes e Manuel Carlos, na PCS a debater os Populismos. O video do encontro pode ser acedido aqui.

 

Ida ao Programa 360º

No dia 1 de Janeiro de 2017 estive no Programa 360º, da RTP3, com o Manuel Villaverde Cabral, o Francisco Mendes de Almeida e o Duarte Cordeiro, a comentar a mensagem de Ano Novo do Presidente.

O video pode ser acedido aqui. Estamos na segunda parte do programa, a partir das 22h00.

 

Ida ao Programa Expresso da Meia-Noite

No dia 16 de Dezembro de 2016 estive no Expresso da Meia-Noite, com o Paulo Baldaia, Director do DN, o Filipe Santos Costa, jornalista do Expresso e o Rui Calafate a debater a “Crise no PSD”.

O video pode ser acedido aqui.

 

Consulta aos Cidadãos - No primeiro ano do XXI Governo

A Consulta aos Cidadãos foi um exercício inédito realizado no âmbito do Observatório da Qualidade da Democracia no Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa. O seu objectivo era realizar uma auscultação a cidadãos portugueses por ocasião do primeiro ano de mandato do XXI governo, com vista à colocação de questões ao Primeiro-ministro e ao governo sobre o primeiro ano de governação.

Para esse efeito foi selecionada uma amostra de 59 portugueses que tendencialmente representativos da população portuguesa do ponto de vista sócio-demográfico de acordo com os seguintes critérios: género, idade, local de residência e classe social.

No processo de deliberação foi notória a vontade dos cidadãos de serem ouvidos e comunicarem as dificuldades do dia-a-dia. Essas dificuldades centram-se em primeiro lugar no funcionamento do mercado de trabalho. Em segundo lugar, passam pela relação com o Estado Providência, relação essa que tem duas vertentes: por um lado a forma e a qualidade dos serviços prestados, por outro o Estado enquanto empregador, que remete mais uma vez para a questão da situação laboral dos portugueses. Por sua vez, os temas sobre a relação entre cidadãos e política também suscitaram um vivo debate.

O encontro entre o Primeiro-ministro e governo com os cidadãos decorreu pelas 16 horas do dia 26 de Novembro de 2016 na Reitoria da Universidade de Lisboa. A principal conclusão dos trabalhos talvez seja a seguinte: a comunicação social e o país político tratam as questões económicas sobretudo de uma perspectiva macroeconómica, porventura até por boas razões que têm que ver com objectivos orçamentais e constrangimentos externos. No entanto, os cidadãos preferem que se discutam políticas sociais com mais assiduidade, políticas essas que conduzam a melhorias no nível de vida, visto serem os temas desta natureza aqueles que mais os preocupam.

A Consulta aos Cidadãos, enquanto momento de diálogo entre eleitorado e políticos, constituiu um exercício de cidadania positivo. Por um lado porque fornece importantes pistas sobre como recentrar o debate político nos temas que interessam realmente aos cidadãos. Por outro lado porque o entusiamo dos participantes tanto no processo de deliberação como no diálogo com o governo significam que estas e outras iniciativas similares podem contribuir para aproximar os cidadãos da esfera política.

Aceder ao Relatório Final da Consulta aos Cidadãos no link abaixo:

relatorio-consulta-cidadaos-mcostalobo-et-al-final

Aceder ao Video do Encontro entre Cidadãos e Governo no Átrio da Reitoria da Universidade de Lisboa no link abaixo:

http://www.portugal.gov.pt/pt/fotos-e-videos/videos/20161126-1-ano-de-governo.aspx

Marcelo e o Semi-Presidencialismo

Artigo publicado por ocasião dos 6 meses da Presidência de Marcelo Rebelo de Sousa.

https://www.publico.pt/politica/noticia/marcelo-e-o-semi-presidencialismo-1743600

Recruitment of 3 researchers for ERC MAPLE Project

Under the framework of the ERC funded project “MAPLE – Measuring and Analyzing Politicisation of the EU before and after the Eurozone Crisis”, I am currently recruiting 3 researchers.
Below you will find two links with all the information on the profile required.
1 vacancy for a post-doctoral researcher:
Deadline for applications: 14 October 2016
 
2 vacancies for doctoral students:
Deadline for applications: 23 September 2016

Column published in El Pais

Column Published in El Pais, 13 May 2016 on why socialdemocrats are faring better in Portugal and Italy than in Spain

“Los socialdemócratas están en crisis en todas partes (y España es un buen ejemplo), pero no en Portugal o Italia. ¿Por qué? Dejando a un lado las diferencias, portugueses e italianos tienen algo en común: los dos se han vuelto más críticos con la UE. Esto les ha permitido retomar el contacto con sus votantes e impedir el aumento de la extrema izquierda.”

German-Europe Dialogue

Chairing the Visit of the German Junior Minister to Lisbon. A partnership between the Institute of Public Policy Thomas Jefferson-Correia da Serra and Das Progressive Zentrum.

Click here to see the video which was produced by Das Progressive Zentrum on occasion of the German-Europe Dialogue, which took place on 17 March 2016 at Fábrica Braço de Prata, Lisbon.

Click here to read the article published in the website Politico on the Event, where I am interviewed.

Apresentação do Livro Política e Entretenimento

Apresentação do livro do José Santana Pereira

No link acima encontram a minha Apresentação ao Livro Política e Entretenimento do José Santana Pereira, que teve lugar na FNAC Chiado a 18 de Fevereiro de 2016.

Factores de Curto Prazo nas Eleições Legislativas de 2015

Factores de Curto Prazo na Eleição de 2015- Economia e Líderes

No link acima encontram uma Apresentação que preparei para o Seminário de Apresentação de Dados sobre o Inquérito Pós-Eleitoral 2015, que foi realizado a 14 de Janeiro de 2016 no ICS. Este Seminário realizou-se no âmbito do IASPP – Infraestrutura das Atitudes Sociais e Políticas dos Portugueses, projecto financiado pela FCT e que permitiu a realização do Inquérito. O documento é o powerpoint que preparei onde respondo às seguintes perguntas:

1.Os votantes de esquerda e direita olham de forma diferente para a economia?

2.O que distingue mais a esquerda e a direita, são as percepções genéricas sobre a economia ou são posicionamentos sobre temas económicos (despesa pública, privatizações, etc)

3.As percepções de melhoria da Economia ocorreram especialmente entre que grupos sociais?

4.Quem foi o líder mais popular para os votantes?

5.A Economia e os Lideres são mais importantes para os votantes que decidem no último mês

Ao responder a todas estas perguntas, concluo que 2015 é um “regresso à normalidade” , comparando com 2011, com a diferenciação nítida dos votantes em relação ao que pensam da Economia. Isto é enquanto em 2011 praticamente todos os portugueses concordavam que a Economia havia piorado no último ano em 2011, em 2015, há diferenças significativas entre as percepções (mais positivas) dos votantes PaF e da percepções (negativas) dos votantes dos partidos PS, BE e CDU.

Mas uma “normalidade” diferente. Porquê? Porque se nota, tanto no que respeita o posicionamento dos votantes de esquerda e direita uma clivagem maior em relação aos temas económicos como também o que pensam dos lideres. Embora Passos Coelho fosse, na eleição de Outubro 2015 um lider muito popular para os votantes PaF (mais do Ferreira Leite em 2009 ou do que Passos em 2011), também é certo que António Costa é reúne um consenso positivo entre votantes do BE e da CDU, para além evidentemente dos do PS.

Olhando para os factores de curto prazo, economia e lideres, parecem estar a configurar-se dois blocos, o de esquerda e direita, polarizados como não acontecia antes – nomeadamente em 2009 e 2011, em relação a questões económicas, especialmente em relação ao que foi a performace económica e aos líderes.

 

 

Segundo Relatório da Bússola Eleitoral

Segundo Relatório da Bússola Eleitoral

No link acima encontram o Segundo Relatório da Bússola Eleitoral onde analisamos os posicionamentos dos eleitores e dos partidos em relação à política económica.

Primeiro Relatório da Bússola Eleitoral

Primeiro Relatório da Bússola Eleitoral

Neste link acima encontram-se os primeiros resultados da análise de 30.000 utilizadores da Bússola Eleitoral entre 4 e 15 de Setembro de 2015.